Deixe um comentário

A GRAVURA DE HENRIQUE OSWALD: DO ENSINO À PRODUÇÃO DE ARTE

Andréa Martins da Silva_LeilãoSoraiaCalsMaiode2010-Item-232

O surgimento e a propagação da gravura artística no âmbito baiano se devem à atuação de inúmeros artistas que, cada qual a seu modo e ao seu tempo, se empenharam em torná-la tão difundida, praticada e aceita quanto as demais formas de expressão. Mario Cravo Junior, Raimundo Aguiar, Newton Silva, Juarez Paraíso, Jaime Hora e Calasans Neto, por exemplo, todos gravadores locais, foram alguns dos que se empenharam na conquista de novos espaços para a gravura. E mais: fortaleceram as características que ainda hoje lhe são inerentes, como o coletivismo e a troca de experiências. Gravadores vindos de outras localidades brasileiras, como Poty Lazzarotto, Oswaldo Goeldi, Marina Caran e Marcelo Grassman, e do exterior, como Hansen Bahia, também abraçaram o empreendimento de elevar a gravura a uma posição privilegiada no meio artístico local. Não podemos esquecer de Pancetti, Carybé e Rescala, artistas que, embora não sendo essencialmente gravadores, se instalaram em Salvador desenvolvendo trabalhos significativos em gravura. Como se vê, a lista de nomes é extensa e, justamente por isso, ocuparíamos várias linhas deste texto, caso desejássemos expô-la. Existe, no entanto, um gravador que, apesar de sua colaboração imensurável para que a gravura artística se instalasse com força e em definitivo na Bahia, raramente é mencionado nos estudos que se prestam a abordar o referido tema. Estamos nos referindo a Henrique Carlos Bicalho Oswald, ou Henrique Oswald, como ficou conhecido. Além de recorrer à pesquisa, à realização de exposições e à criação de arte como meios de divulgar a expressividade da gravura, o artista desempenhou importante papel na formação de toda uma geração de artistas baianos no final da década de 1950, durante sua atuação como professor da Escola de Belas Artes (UFBA). Considerando a existência desta verdadeira lacuna na história da arte local, a pesquisa de Mestrado intitulada A gravura de Henrique Oswald: do ensino à produção de arte, desenvolvida sob orientação da Profa. Dra. Rosa Gabriella de Castro Gonçalves e defendida em 04 de setembro de 2009, tencionou investigar as experiências vivenciadas pelo artista Henrique Oswald em Salvador, junto à linguagem da gravura, ressaltando sua postura participante na difusão e aceitação desta modalidade de expressão no cenário artístico baiano. Este enfoque teórico articulou-se em torno dos seguintes questionamentos: Qual a contribuição de Henrique Oswald para a difusão da gravura artística em Salvador? Que efeitos sua atuação como professor de gravura da Escola de Belas Artes (UFBA) desencadeou no meio artístico local? Pode sua produção gráfica ter estimulado outros gravadores baianos?

texto completo: http://www.revistaohun.ufba.br/pdf/virginia.pdf

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: