Deixe um comentário

Onde quer que eu…. Estou ligado

A sala o quarto a cozinha o corredor, a dor é a minha ilusão, a minha confissão. Abasteço o silêncio com o que há de pior em mim, meu lençol eu já não tenho o meu amor. A casa está vazia e ela é minha, minha dor. Sujeito personagem da minha questão pessoal, da necessidade de expor o meu valor. Não existe o que saber da dor, ela sente o que há de mais impetuoso nos trovões de tempestades interiores. Pintei de azul o meu coração, ele parou de bater, resfriou, não morreu, apenas hibernou.  Sem esforço o silêncio não tem mais a campainha, o clarão de pé de vento me faz respirar, a cada passo um mirante distante, mas sei que um dia hei de chegar lá!!!

Nanquim e pastel oleoso 2014

1 001 2 001 3 001 5 001 6 001 8 001 9 001 10 001 11 001 12 001

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: